Os cavaleiros de Santiago

“À negra fuligem que subia em labaredas por dentro das muralhas, somaram-se a ensurdecedora algazarra dos berros dos soldados e a singular visão das bolas de chamas que cruzavam os céus, o que contribuía amplamente para a constituição, em traços grosseiros e escandalizantes, de um cenário caótico e medonho, um verdadeiro inferno a céu aberto forjado a fogo, ferro e ódio”

Personagens

Segue abaixo lista dos personagens que compõem os seis livros da série Os cavaleiros de Santiago. A maioria é fictícia, mas muitos são históricos, e a sinalização entre parentêses indica essa diferenciação. Devido à grande variedade de personagens presentes na saga, este pode ser um bom guia de consulta para mantê-los todos em mente.

Prinicipais:

Jose Luiz Blanco (fictício)

Veterano cavaleiro da Ordem de Santiago, Jose Luiz Blanco é proprietário das frondosas terras de Sortrera, um extenso feudo localizado cinquenta quilômetros ao norte de Burgos. Investido cavaleiro em 1174, ele teve permissão de manter sua propriedade, o que se tratou de uma rara deferência da Ordem, uma vez que santiaguistas recém-ingressados estavam obrigados a se desfazer de suas posses ou doá-las à irmandade. Casado com Maria Concepción, Jose Luiz teve quatro filhos, dos quais apenas um atingiu a idade adulta. Após anos de serviço à coroa castelhana, alijou-se dos campos de combate em princípios do século XIII para dedicar-se à pecuária e aos cuidados de sua propriedade. Em fevereiro de 1211, é convocado para uma última missão como cavaleiro pelo rei Afonso VIII.

Felipe Blanco (fictício)

Filho de Jose Luiz Blanco, Felipe é, a exemplo do pai, cavaleiro da Ordem de Santiago e, a despeito de sua condição de monge-guerreiro investido, herdeiro das terras de Sortrera. Ainda criança, parte para a Normandia a fim de finalizar seu treinamento militar junto à Ordem do Templo. É pupilo de Jean Trouvellier, renomado templário normando e amigo íntimo de Jose Luiz. Ainda na França, casa-se com Etienne Gautier e tem dois filhos, que falecem em idade prematura. Em finais de 1211, retorna a Castela acompanhado de seu escudeiro Jean Gramanet.

Guillermo Roriz (fictício)

Cavaleiro santiaguista de grande prestígio, Guillermo Roriz é um dos mais destacados e renomados seguidores da Ordem, conhecido em Castela e Leão por sua inigualável capacidade como combatente. Durante anos, é aclamado campeador do reino e torna-se imbatível nas arenas de justas e torneios. No auge de sua forma física, porém, começa a ser acometido por uma estranha doença progressiva, que lhe drena as forças e o torna cada vez menos efetivo nos campos de batalha. É tratado pelo médico judeu Aron Menchel e pela esposa Joana Roriz, mas o tratamento não parece surtir efeito.

Ricardo Forlán (fictício)

Amigo de infância de Guillermo Roriz e Diego Santillana, Forlán é um cavaleiro jovem, teimoso, irascível e extremamente habilidoso com a espada. Seguidor da Ordem de Santiago, é nomeado  o responsável pela defesa da fortaleza santiaguista de Bazautí, localizada nos arredores de Toledo. Casado, vive com sua família, composta ainda de dois filhos e três irmãos, na fortificação a ele confiada pelo Grão-mestre. Nascido em 1188, sua aparência juvenil e cabelos vastos o fazem parecer um eterno menino.

Diego Santillana (fictício)

Toledano de nascimento, Diego Santillana é um cavaleiro alto, loiro, de olhos azuis e pouca paciência. A exemplo de Forlán e Roriz, está encarregado da proteção de uma fortaleza pertencente à Ordem de Santiago, a Victoria, também localizada em Toledo. É casado, mas sua mulher parece ser infértil, razão pela qual ainda não tem filhos. Sua irmã Lucia, uma linda moça que desperta a cobiça da maioria dos homens, também vive na fortaleza, a espera de uma boa proposta de casamento. Diego Santillana, após a derrocada de Roriz, torna-se campeador de Castela.

Arturo Ávila (fictício)

Monge cisterciense ordenado no mosteiro de Boanaval, Ávila é um jovem devoto que se propõe a realizar a peregrinação para Santiago de Compostela. Diante dos percalços encontrados ao longo da jornada, ele torna-se paulatinamente um homem mais maduro e confiante, ao mesmo tempo em que conhece pessoas que mudarão o rumo de sua vida. Pacato e avesso à violência, Ávila é incapaz de confrontar qualquer homem que o desafie - embora não lhe falte coragem,  apenas audácia. Sua teimosia, entretanto, o faz buscar caminhos alternativos para buscar seus objetivos,invariavelmente caprichosos.

Román Villalba (fictício)

Román é um soldado veterano, que estreia nos campos de batalha em 1195, em Alarcos. Apesar da derrota acachapante diante dos muçulmanos, Villalba não apenas sobrevive, como se encarrega de salvar o rei Afonso VIII de uma morte certa. O monarca o odeia por esse episódio, uma vez que a vida se torna um fardo por demais pesado para um governante que se crê amaldiçoado. Após a batalha de Alarcos, Román deixa sua cidade natal, Segóvia, e parte para Santiago de Compostela, onde se torna soldado e, posteriormente, mestre-de-armas de D. Ortiz de Tuy. Na cidade sagrada, ele espera encontrar seu antigo amor, Isabel Vasquez, mas tudo com que se depara são provações e adversidades.

Afonso VIII (histórico)

Rei de Castela entre 1158 e 1214, Afonso VIII tem seu governo marcado por confrontos militares com Al-Andaluz em busca das terras perdidas pelos cristãos. Duramente derrotado em Alarcos por Al-Mansur, o monarca credita o desastre a um castigo divino, que Deus lhe teria impingido em conseqüência de sua infidelidade no casamento. Durante os primeiros meses de matrimônio, Afonso envolve-se com uma amante judia, deixando suas obrigações governamentais de lado, o que leva a nobreza castelhana a acusar a jovem de feitiçaria e enforcá-la. Acreditando ser um homem amaldiçoado, o rei passa a cumprir sua penitência, construindo igrejas, hospitais para peregrinos e mosteiros, ávido pelo perdão divino. Lança-se com igual fúria à revanche da derrota de Alarcos, o que o conduz à lendária batalha de Navas de Tolosa.

George Harpka (fictício)

Harpka é um soldado mercenário húngaro extremamente habilidoso com a espada. Sua perícia é apenas suplantada por seu sadismo, que o leva a cometer crimes bárbaros e torturas cruelmente inventivas. Tendo acorrido a Castela após a convocação de uma cruzada contra os muçulmanos, Harpka logo se destaca por sua alta eficiência e é convocado a compor a infantaria de D. Ortiz - onde rapidamente se torna mestre-de-armas e é protegido pelo nobre castelhano. De aparência inegavelmente estrangeira, o magiar tem inconfundíveis cabelos negros e compridos, nariz afilado e proeminente e um porte comparável apenas ao de Santillana.

Javier Agudelo (fictício)

Agudelo é um jovem leonês de origem nobre que é treinado em Santiago de Compostela por  Román Villalba. Ao completar quatorze anos, é enviado a Toledo, onde torna-se escudeiro de Diego Santillana e passa a se envolver com a esposa de Guillermo, um dos mais próximos amigos de D. Diego. Arrancado subitamente de sua inocência e de uma infância pacata, Agudelo se vê embriagado pela ambição e arrogância, tornando-se em pouco tempo um inimigo dos santiaguistas. Sua habilidade bastante incomum e consideráveis doses de sorte o levam a algumas vitórias nas arenas de combate, o que apenas o torna ainda mais pedante. Sua proteção reside no renome da família e na proteção do pai, Sebastián Agudelo.

Soto Garcia (fictício)

Soto é um cavaleiro de origem nobre, arruinado financeiramente pelas dívidas que sua família tomou com a Igreja. Para sobreviver, torna-se salteador de estradas, cobrando pedágio daqueles que passam próximo a suas terras e assaltando viajantes. Jose Luiz Blanco é uma de suas vítimas.  Também cobra taxas de criminosos oriundos do campesinato ou do proletariado urbano, como forma de avalizar a atuação de concorrentes. Fanfarrão e violento, Soto ataca compulsivamente e sem distinção, o que o leva a ter problemas com outros membros da nobreza e militares castelhanos e leoneses.

Joaquín Arnau (fictício)

Jovem cavaleiro da Ordem de Alcântara, Arnau é conhecido por sua aparência anêmica e pouco intimidativa, que encobre a força de um guerreiro respeitável e um excelente líder militar. Amigo de longa data dos cavaleiros de Santiago, ele promove o estreito relacionamento entre ambas as irmandades, até que atribulações de razão pessoal o tornam persona non grata junto aos santiaguistas. Galanteador compulsivo, gerou filhos bastardos em diversas mulheres, o que não é permitido pelas regras de Alcântara, que pregam a vida monástica como única forma de servir à Ordem.

Al-Nasir (histórico)

Também conhecido como Miramamolin, Al-Nasir é califa de Marrakesh e inimigo ferrenho de D. Afonso. À frente das tropas de Al-Andaluz, promete dar sequência à obra de seu pai, Al-Mansur, que derrotou estrondosamente os cristãos em Alarcos. Para seu infortúnio, é filho do antigo califa com uma escrava cristã, o que o levou a possuir uma aparência distinta dos demais andaluzes - loiro, de olhos claros e pele totalmente branca. Gagueja quando se enerva, o que não é incomum.

Joana Roriz (fictício)

Esposa de Guillermo Roriz, Joana é uma mulher ambiciosa e manipuladora, capaz de controlar e seduzir homens por meio de sua beleza incomum. Tem cabelos e olhos negros, pele morena, rosto delicado e feições arrebatadoras. Sua principal qualidade, porém, é a habilidade com as palavras. Envolve homens com jogos de sedução, insinuações de duplo sentido e muita malícia. Torna-se amante de Javier Agudelo.

Isabel Vasquez (fictício)

Isabel é a moça por quem Román é apaixonado desde a mais tenra idade. Filha de um artesão de Segovia, ela deixa a cidade com a família quando o pai tenta melhorar de vida em Santiago. Mais tarde, é acusada de bruxaria pela Igreja e executada na fogueira. Román revolve o passado para descobrir se Isabel é culpada ou não, mas as investigações são intrincadas e se deparam com muitas incongurências.

Amparo Mendez (fictício)

Amiga íntima de Isabel, Amparo nasceu e viveu por toda a vida em Santiago de Compostela. Após a morte da companheira, se torna uma beata totalmente dedicada à Igreja . Conhece Román e Ávila durante as investigações que ambos conduzem e tenta dissuadi-los de prosseguir as averiguações. Casada com um mercador, Amparo passa a maior parte de seu tempo sozinha, enquanto o marido navega com suas mercadorias rumo ao leste distante.

Gonzalo de Lara (histórico)

Conde de Molina, Lara é um nobre abastado e um dos principais aliados do rei. Sua família venceu a queda de braço disputada com os Castro pela primazia junto à coroa, embora o passar dos anos tornasse D. Afonso mais afeito a Rodrigo de Rada e outros membros da Igreja. No romance, é velho amigo de Jose Luiz Blanco, por quem intervém em diversas situações.

Rodrigo de Rada (histórico)

Rodrigo Jimenez de Rada é arcebispo de Toledo e principal confidente do rei. É nomeado líder espiritual da guerra contra Al-Andaluz e apela ao papa a fim de conclamar uma cruzada e legitimar as ações de D. Afonso, no que é bem sucedido. Passa grande parte da vida procurando consolar o rei, que se afunda na crença de que é um homem amaldiçoada. Beligerante, acompanha os exércitos cristãos às Navas de Tolosa e a diversas outras batalhas travadas posteriormente.

Constanza (histórico)

Sexta filha de D. Afonso, Constanza é, além de princesa, abadessa do convento de Huelgas Reales, que mais tarde se tornaria panteão da família real. Ela é entregue à Igreja como uma das formas de penitência de D. Afonso por seus pecados. Bondosa e espirituosa, ela é amiga de longa data de Jose Luiz Blanco, mas se torna inimiga de Felipe quando ele se mostra mais violento e intolerante que o pai.

Aron Menchel (fictício)

Menchel é um médico judeu que vive no bairro hebraico de Toledo. Bastante reconhecido por sua perícia profissional, torna-se médico da família Roriz e tenta recuperar D. Guillermo de sua grave doença, enquanto o vê degradar-se em meio a seus ataques convulsivos.

Lucia Santillana (fictício)

Irmã de Diego Santillana, Lucia é uma jovem sonhadora que vive junto ao irmão na fortaleza toledana de Victoria. Cobiçada por muitos pretendentes, ela atrai olhares lascivos dos homens e invejosos das mulheres, mas mantém-se casta até o dia em que encontra um rapaz encantador na corte e deixa-se arrebatar pela volúpia.

Adam Gahan (fictício)

Gahan é um cavaleiro irlandês que acorre a Castela quando a guerra é deflagrada. Caçula de uma prole de sete irmãos, ele não tem direito às terras do pai, motivo pelo qual decide tornar-se mercenário. Guerreiro experiente, ele se transforma em um excelente reforço para o exército cruzado e logo torna-se amigo de Felipe Blanco e Jean Gramanet, embora se veja hostilizado pelos demais santiaguistas por lutar por dinheiro e não por ideais.

Jean Gramanet (fictício)

Escudeiro de Felipe Blanco, Gramanet é um normando que deixa a França para acompanhar seu senhor de volta a Castela. Extremamente jovem, ainda é inexperiente com armas e espera, ansioso, por seu primeiro combate de verdade. Calado e sisudo, mantém-se à margem dos acontecimentos, limitando-se a observar e aprender.

Cáceres (fictício)

Pablo Cáceres é um servo de Jose Luiz Blanco que eventualmente se torna seu escudeiro - um posto quase exclusivamente reservado aos homens de ascendência nobre. Envaidecido pela deferência, o antigo camponês torna-se um excelente servente, tanto por sua incomum habilidade com cavalos quanto pela incondicional lealdade à família Blanco.

Secundários:

Pedro II (histórico)

Pedro II, “o católico”, é rei de Aragão entre 1196 e 1213 e principal aliado de D. Afonso.

Sancho VII (histórico)

Sancho VII, “o forte”, é rei de Navarra entre 1194 e 1234 e rival de D. Afonso, embora se alie ao castelhano durante as Navas de Tolosa.

Afonso IX (histórico)

Rei de Leão entre 1188 e 1230, é o principal rival cristão de D. Afonso na península ibérica.

Família real (histórico)

Composta pelos filhos Sancho, Enrique, Fernando, Constanza, Berenguela, Blanca, Leonor e Urraca e pela esposa Leonor de Plantagenet, forma o círculo de convivência mais íntimo de D. Afonso.

Hector (fictício)

Mascate de Santiago, é amigo de Amparo Mendez.

Carvajal (fictício)

Soldado mercenário, esteve a serviço de Bernal Cisneros no oriente e foi pretendente de Isabel Vasquez.

Bernal Cisneros (fictício)

Rico mercador de Santiago de Compostela.

Diego de Haro (histórico)

Senhor de Vizcaya, é um dos principais guerreiros do rei. Destacou-se nas Navas de Tolosa como o mais importante líder das tropas cristãs.

Garcia Romero (histórico)

Nobre de grande prestígio junto à coroa castelhana.

Andrés Tejada (fictício)

Cavaleiro castelhano que é feito refém junto aos muçulmanos e que posteriormente, já de volta a Castela, levanta a possibilidade de haver um espião no reino.

Luiz Tormillo (fictício)

Comendador da Ordem de Calatrava, participa da defesa da fortaleza de Salvatierra junto a seu amigo Ruy Diaz.

Gastón Berizo (fictício)

Besteiro que serve à Ordem de Calatrava e que participa da defesa da fortaleza de Salvatierra.

Manuel Alfaro (fictício)

Bispo de Zamora durante o reinado de D. Afonso.

D. Herrera (fictício)

Padre de Santiago de Compostela.

Olavo (fictício)

Monge de Monsalud responsável pela biblioteca.

Protectus (fictício)

Bufão que atormenta Roriz em seus delírios.

Al-Cadir (fictício)

Jovem general andaluz a serviço do Miramamolin.

Faruk (fictício)

Líder das tropas berberes.

Gabriel (fictício)

Mensageiro da fornteira, trabalha para ambos os lados, vendendo informações aos exércitos.

Hernando (fictício)

Salteador de Valladolid.

Rodrigo (fictício)

Salteador de Salamanca.

Pedro Arias (histórico)

Grão-mestre da Ordem de Santiago entre 1210 e 1212.

Ruy Diaz (histórico)

Grão-mestre da Ordem de Calatrava entre 1207 e 1212.

Nuño Fernandez (histórico)

Grão-mestre da Ordem de Alcântara entre 1208 e 1219.

Thomas Walcott (fictício)

Cavaleiro mercenário inglês, amigo de Adam Gahan.

Fabien Dellier (fictício)

Cavaleiro francês, um dos líderes do exército estrangeiro em Castela.

Arnau Almaric (histórico)

Arcebispo de Narbonne e comandante do exército aliado francês.

Henrique Vasquez (fictício)

Artesão nascido em Segovia e posteriormente radicado em Santiago, é pai de Isabel Vasquez.

Jaime e Julio (fictícios)

Irmãos e criados pessoais de Ruy Diaz, Grão-mestre de Calatrava.

Victor (fictício)

Intendente de Sortrera.

Carmelita (fictício)

Criada pessoal de Maria Concepción em Sortrera.

Ortiz de Tuy (fictício)

Nobre leonês, possui terras em Santiago de Compostela.

Sebastián Agudelo (fictício)

Nobre leonês e pai de Sebastián Agudelo.

Jimeno Alvarez (fictício)

Cavaleiro templário que defende a rota de peregrinação a Santiago de Compostela.

Maria Concepción (fictício)

Esposa de Jose Luiz e mãe de Felipe Blanco.

Lope Caña (fictício)

Nobre empobrecido nomeado por D. Afonso como administrador temporário de Sortrera.

Cabrera (fictício)

Servo a serviço de Santillana que acoberta encontros amorosos entre Joana e Javier Agudelo.

D. Quintana (fictício)

Padre da fortaleza Victoria, administrada por Santillana.

criado por Gabriel Torres    — Arquivado em: Sem categoria

1 Comentário »

  1. Comentário por Juan Antonio Sanchez — @

    Sanchez significa “filho de Sancho”. Será que o autor descende de Sancho VII, rei de Navarra (e dos outros 6 Sanchos)???
    Parece estar muito bem inteirado das tramas da época!!!

Deixe um comentário

Report abuse Close
Am I a spambot? yes definately
http://oscavaleirosdesantiago.blog.terra.com.br
 
 
 
Thank you Close

Sua denúncia foi enviada.

Em breve estaremos processando seu chamado para tomar as providências necessárias. Esperamos que continue aproveitando o servio e siga participando do Terra Blog.